Aliança Terapêutica

Há uma crença popular de que psicoterapeutas não passam por situações emocionais impactantes e que são bem resolvidos. Na realidade, é importante que se esteja em equilíbrio para atender ao outro, o que não significa não se ter problemas ou questões pessoais e/ou emocionais para serem resolvidas.

Os atendimentos psicoterápicos exigem que o profissional esteja ali para o cliente, que seus problemas não sejam impeditivos de estar atento às palavras, às expressões e às questões trazidas à sessão. Estar presente de “corpo e alma” requer do terapeuta condições de se conectar com os próprios sentimentos e emoções, bem como empatizar com os sentimentos e emoções do cliente. O espaço terapêutico é um caminho percorrido em conjunto terapeuta/cliente em direção às questões apresentadas e/ou detectadas, no sentido de eliminar os sintomas e dar possibilidades do sujeito enfrentar da melhor forma suas experiências na vida.

Cada atendimento é uma experiência única e o universo humano apresenta uma riqueza inesgotável nas singularidades pessoais. Contudo, as projeções, identificações e cruzamento de histórias fazem parte de todos os relacionamentos, inclusive entre terapeuta e cliente. Neste sentido, o profissional ocupa um lugar no qual lhe serão exigidas respostas e atitudes que podem não ser compatíveis para o bom andamento do tratamento.

Por outro lado, algumas características do terapeuta, como a flexibilidade, o respeito, a confiabilidade, o calor humano, o interesse vão influenciar a construção da aliança terapêutica.

É comum que o padrão de funcionamento do cliente (a forma como o indivíduo se comporta) se apresente no processo terapêutico. Portanto, é necessário que o terapeuta esteja atento a si mesmo diante do conteúdo que vai sendo apresentado, assim como aos efeitos trazidos pelo comportamento do cliente sobre a sua pessoa.

A aliança terapêutica é mecanismo de mudanças e é indispensável para o sucesso do tratamento. Por outro lado, reconheço nesta relação um manancial inesgotável para as autodescobertas do paciente e do terapeuta.

Norma Emiliano

Assistente Social, Psicóloga, Terapeuta de Casal e Família, membro titular da ATF/RJ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *